Archive for the 'Rádio' Category

Mauricio Kubrusly e os rincões do Brasil na CBN

12 de maio de 2013

O jornalista que virou símbolo das histórias e personagens inusitados que acontecem Brasil afora ganha um quadro dentro do programa CBN Brasil a partir do dia 17 de maio.

Kubrusly volta à a casa (fez parte da rádio Excelsior, antecessora da CBN no dial) para contar histórias do Brasil todas as sextas-feiras na faixa do início da tarde. Será uma boa adição à programação.

Anúncios

BBC Radio 1: 43 anos em vinhetas

2 de setembro de 2010

No dia 30 deste mês a hypada BBC Radio 1 completará 43 anos de transmissões. Nascida para combater o fenômeno das rádios piratas que ocupavam a o mercado ovem que buscava a nasce música pop, o braço jovem da Corporação se estabeleceu rapidamente no mercado e chegou a tranformar muitos de seus DJs e locutores em celebridades nacionais. Quem dera o Brasil fosse assim apaixonado pela arte radiofônica…

Viaje agora através desta história com as vinhetas da estação de 1967 até 1994:

[+] Esta compilação de vinhetas foi veiculada no dia 1º de julho de 1994, dia em que a rádio encerrou as transmissões em AM e passou a ser transmitida exclusivamente em FM.

Por dentro da BBC Radio 1

13 de julho de 2010

Já que vimos por aqui o controle-mestre dos canais de TV da BBC, que tal dar uma volta pela redação e pelos estúdios da Radio 1 na companhia da não muito atenciosa Annie Mac?

Por favor, não se percam:

A cidade no ar – de 1989

14 de junho de 2009

Uma das coisas que sempre achei legais na Veja São Paulo é a presença de uma coluna falando sobre os destaques da semana no rádio. A Época São Paulo não faz muito tempo correu atrás do tempo pardido e incluiu o assunto dentro da sua pauta. Ou pelo menos no seu blog ‘4 Paredes’

Fora esses espaços, também há ocasiões em que o rádio marca presença no noticiário regular, como aconteceu em outubro de 1989 na própria Veja São Paulo, e que você pode ler na íntegra aqui no blog, nas imagens a seguir (clique nas imagens para vê-las em tamanho ampliado)

PS: Notem a presença do nome “Globo/Excelsior”. Na época da matéria ainda não havia terminado a transição de nomes de Rádio Excelsior para Rádio Globo.

pagina1
pagina2
pagina3

O rádio ao vivo e a cores

27 de maio de 2009

Nos anos áureos do rádio, este era um espetáculo, com direito a uma grande platéia tanto do lado de lá como do lado de cá das válvulas: Das grande rádios como a Nacional do Rio em seus grandes shows dos “Cantores do Rádio” às emissoras do interior promovendo shows de artistas locais e disputados game-shows, o fator platéia esteve intimamente ligado a arte de fazer rádio dos anos 40 e 50.

Cidade X Cidade - Rádio Clube

(Programa “Cidade contra cidade”, realizado nos anos 50 pela Rádio Clube de Americana, no antigo Cine Cacique – Arquivo/Rádio Você)

O tempo passou, a TV surgiu e engoliu boa parte do bolo publicitário, e os radialistas foram sendo confinados aos estúdios, matraquiando sozinhos ao microfone e tocando discos que lhe eram mandados.

Pelo menos foi assim até os últimos tempos, aonde a mídia está tendo que rebolar e sair da zona de conforto pra sobreviver. E se falando especificamente sobre rádio, um ângulo que merece ser destacado é a reintrodução do formato de programas com platéia pela rede CBN.

Há algum tempo a rádio anda passando por modificações na sua grade, saindo do “all-news” e mirando no que eu chamaria de “all-information”: Menos noticiário bruto e mais conteúdo que ajude o ouvinte a entender o mundo, não apenas registrar o que acontece nele. Um dos indícios dessa tranformação é a presença cada vez mais forte na grade dos programas com platéia, que são exatamente a mesma coisa que um “programa de auditório”, apenas usando uma expressão diferente para não dar margem a outras associações.

(Foto do Flickr do CBN São Paulo, na transmissão do aniversário de 455 anos da cidade de São Paulo)

Quem nos falou um pouco sobre esse assunto de reintrodução do formato de platéia no rádio no caso da CBN foi a Mariza Tavares, diretora de jornalismo da casa:

Ionosfera da Mídia – Quando surgiu a idéia de reintroduzir esse formato de programa no rádio pela CBN?

Mariza Tavares – Rádio e plateia têm tudo a ver e estamos trabalhando nisso há alguns anos. O Fim de Expediente, ancorado por Dan Stulbach, já completou três anos de existência e uma de suas marcas registradas é o último programa do mês ser com plateia, no Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional. O Divã do Gikovate, que vai comemorar dois anos, seguiu o mesmo caminho e, uma vez por mês, é com plateia. Além disso, também fazermos programas especiais com público em datas como os aniversários de São Paulo e do Rio de Janeiro. Este ano, inclusive, o CBN Rio em comemoração ao aniversário da cidade foi num quiosque às margens da Lagoa Rodrigo de Freitas.

– Os âncoras aprovaram essa idéia?

Todos os âncoras gostaram da proposta, porque este é um contato direto com o público que traz muito mais emoção à programação.

– De que forma, no seu ponto de vista, os programas com platéia atendem com os objetivos da CBN?

Rádio é informação em tempo real e talvez seja um dos veículos mais próximos do seu público. O programa com plateia é a materialização desta proposta.

– O programa com platéia é diferencial só para quem está lá mesmo in loco, assistindo, ou quem só ouve pelo rádio também ganha com esse formato?

A participação do público que está no local também torna a transmissão mais viva, mais quente. Quem está ouvindo sente isso.

– A CBN tem planos de levar mais programas para esse tipo de formato?

Este é sempre um desafio, mas queremos ampliar ações deste tipo. Além de programas ao vivo com plateia, também temos experiências interessantes de gravar especiais com plateia que depois são veiculados no fim de semana.

***

São iniciativas assim que dão vontade de aplaudir o rádio brasileiro. Da platéia, de preferência.

CBN de plástica nova

18 de outubro de 2008

Como o blog da Magaly Prado anunciou, a CBN à partir desta segunda renova suas vinhetas e trilhas, algo que não acontecia por completo desde 1994.

Esta é a roupagem do CBN São Paulo, noticiário local apresentado por Milton Jung, que está saindo do ar:

E esta é a nova, que entra dia 20:

Gostou? Dê sua opnião do blog do Milton.

Mãos na massa

21 de agosto de 2008

Hoje pela manhã, no CBN São Paulo que foi apresentado só para a internet, (já que a cadeia AM e FM estava na tranmissão da final do futebol feminino), Milton Jung comentou a mania dos políticos aparecerem na campanha da TV com a manga arregaçada, querendo passar o ar de que estão emprenhados e trabalhando. Curioso foi que ele traçou um paralelo também com os telejornais que fazem geralmente a mesma coisa: Apresentador sem terno, para tentar mostrar que estavam trabalhando árduamente pra fazer o jornal.

Que o trabalho é árduo, não resta dúvida. Mas precisa ter tanta pose assim?

Pra mim o jornalismo na TV é mais cheio de firulas do que qualquer outro modo de jornalismo. Tá na hora de mudar. O conceito de que gente bem arrumada é sinal de credibilidade não faz mais sentido há anos.

Vide os próprios políticos.